Goldilox supera relacionamentos ruins da melhor maneira no álbum ‘Very Best’



A cantora Kay Boutilier, mais conhecida como Goldilox, transborda referências desde o primeiro segundo de qualquer música. Tudo com originalidade e uma estética elegante que te faz querer ouvir mais. Suas inspirações oscilam entre Dolly Parton, Blondie e Michael Jackson, e junto com isso vem uma pegada de anos 70 em produções eletropop.



Nascida no Canadá, a cantora já tem uma carreira onde a palavra ‘perseverança’ já é bem constante. Saindo do interior para a capital em busca de um lugar no mercado fonográfico, mas falhando tristemente, Kay seguiu para Los Angeles até chegar na capital francesa, onde afirma que “queria estar perto de coisas criativas e o que tem inspirado mais do nunca é estar aqui em Paris”. Trabalhando também como modelo, vive a vida de uma Polly Pocket, se divertindo entre jantares com seus amigos, desfiles de moda e noites divertidas produzindo novas músicas. Representando 100% o que a vida significa pra ela: ser livre.



Em seu primeiro álbum como artista independente Very Best (2018) somos introduzidos a uma mulher que está em constante superação de relacionamentos, mas da maneira mais confiante e segura possível. O projeto é repleto de referências disco e synthpop, que conversam entre Blondie (“Heart Of Glass”), Goldfrapp (“Strict Machine”) e Kylie Minogue (“Slow”).

“I Love You”, carro-chefe do registro, é uma faixa repleta de fantasias sexuais que convidam o ouvinte a se imaginar no melhor lugar possível de uma noite de amor.



Em “Very Best” podemos dançar enquanto mandamos nosso ex agradecer por ter nos conhecido, sem derrubarmos uma lágrima. A faixa é melódica e casa de maneira divertida com o synthpop e toques de autotune, que nos lembra do hit “Get Out Of My Way” de Kylie Minogue.



O álbum Very Best está disponível no Spotify e você pode acompanhar os próximos passos dessa nova premissa do dancepop no Instagram @yunggoldilox.

Tecnologia do Blogger.