Cambriana entre influências da bossa nova e afrobeat na profana ‘Lucifer’



Agendado para o final de agosto, o álbum MANAUS VIDALOKA, terceiro registro da Cambriana, promete trazer uma sonoridade diferente se comparado aos trabalhos anteriores House Of Tolerance (2012) e Worker (2013) – pelo menos é o que as faixas “Center of the Universe” e a recente “Lucifer” nos entregam.

A primeira é um artrock intenso marcado por percussão frenética, riffs de guitarras melódicos e arranjos grandiosos que dão forma à produção. Entre o experimental e batidas africanas, “Center of the Universe” mostra a fase mais madura da banda.



Enquanto isso, o single “Lucifer”, que chega hoje nas plataformas de streamings, incorpora influências da bossa nova com o afrobeat. A música destila certo frescor na produção, entregando uma faixa encorpada e repleta de instrumentos assertivos, como flauta e sintetizadores.

Produzida por Luis Calil, que trabalhou na produção do disco de estreia do Bemti, “Lucifer” é uma ode ao desejo e pecado em tom debochado que brinca com certas tradições religiosas que condenam o sexo por prazer. “Ela usa a queda do anjo Lucifer como uma metáfora para a ideia de "going down" [gíria da língua inglesa para sexo oral]”, explica Calil.



O álbum MANAUS VIDALOKA está agendado para o dia 24 de agosto.
Tecnologia do Blogger.