Entrevista: O elegante e salgado mundo de Coco & Clair Clair


Tyler Mitchell

Em tempos de algoritmos e serviços de streams, podemos nos considerar com sorte quando o Spotify nos leva a artistas que até então desconhecíamos, foi assim que a dupla americana Coco & Clair Clair conquistaram espaço nas minhas playlists.

Com letras que carregam enorme doses de ironia e empoderamento feminino, o pop/rap duo pintam uma vibe early 00´s, girls squad, na mente das pessoas que escutam suas produções lo-fi. Conversei com elas sobre o álbum debute, POSH, processo criativo, The Sims e muito mais.

Vocês se lembram da Courtney? A menina loira do desenho Ginger da Nickelodeon? Essa é a imagem que aparece na minha mente quando escuto "Pretty". Um grupo de garotas populares, trancadas no quarto e penteando o cabelo como se não houvesse amanhã. Como essa música surgiu?

CLAIR: Eu amava esse desenho! A primeira ideia para "Pretty" veio de um verso do Kendrick Lamar que Coco escutou. Acho que a música é maravilhosa pra escutar enquanto você está se arrumando para a noite e flertando consigo mesma no espelho. Essa é a sensação que queremos passar com "Pretty", que as pessoas se sintam o máximo e que ninguém pode dizer como fazer as coisas. É um jeito engraçado de se sentir.



Como é a cena criativa na cidade de vocês? Os artistas se ajudam com colaborações onde todos possam divulgar seus trabalhos ou cada um prefere ficar se divulgando sozinho na internet?

CLAIR: Estamos cercados por pessoas criativas, todos estão sempre dando suporte! Colaborações é o que não falta em Atlanta. No momento, estamos mais quietas no nosso próprio espaço, criando músicas e fazendo shows de vez em quando. Não estamos procurando por nenhuma gravadora e nem esperamos que isso aconteça logo, mas tanto Nova Iorque quando Atlanta têm nos recebido com braços abertos e muitos amigos tem nos ajudado também, o que deixa tudo mais divertido.

As letras de vocês são muito irônicas e divertidas, me lembram algumas bandas como Sälen, Kero Kero Bonito e até Charli XCX. Como funciona o processo criativo de vocês?

CLAIR: Nós amamos Charli! As primeiras músicas que gravamos eram produzidas pelo rapper Slug Christ. Com o tempo Coco e eu começamos a estudar mais sobre esse processo. Eu comprei um microfone Guitar Hero em uma feira e utilizamos o GarageBand para gravarmos com as batidas que as pessoas nos enviavam, e continuamos trabalhando dessa maneira. Coco começou a produzir algumas batidas e sempre escrevemos nossas músicas durante conversas pelo FaceTime. Como moro em Nova Iorque no momento, sempre quando nos encontramos pessoalmente, aproveitamos para gravarmos.



POSH é o álbum de estreia de vocês, qual é o conceito por trás?

CLAIR: O álbum não tem um "conceito" principal - queremos mostrar alguns amadurecimentos dentro das nossas produções, mas nada que apague a verdadeira estética do nosso som. Procuramos manter as nossas letras com versos chicletes, engraçadas e com muito empoderamento feminino.

Vocês tem uma música chamada "Sims 2", que já virou a minha favorita. Como seria a expansão perfeita do The Sims pra vocês?

CLAIR: Nós somos fãs número 1 do The Sims, é o nosso vício. Tem momentos que eu realmente consigo escutar a música de abertura tocando na minha mente. Quando descobri que era possível baixar customizações para os sims, os meus personagens viviam usando roupas Abercrombie e dirigindo caminhonetes da Ford. A expansão perfeita seria em uma versão de realidade aumentada, iria me trancar no banheiro e colocar aqueles óculos da Google e ficar jogando até me esquecer da vida real.

COCO: Eu iria melhorar um pouco mais o The Sims 2 vida de universitário, mas essa versão é perfeita pra mim.

A nova música de vocês, "Naomi & Kate", fala sobre escândalos envolvendo as duas top models. A letra fala mais sobre ela ou vocês?

CLAIR: Coco teve a ideia de fazer uma música sobre as duas e a melhor maneira de escrever sem parecermos brega, era se conseguíssemos relacionar as nossas personalidades com as delas. A música celebra o legado de ambas, mas também ao fato de ser jovem e livre. Eu acho que também é uma música romântica, porque estamos tentando dizer para as pessoas que apesar de sermos loucas, também somos muito amadas.

Instagram Coco
Instagram Clair



Entrevista produzida e traduzida por João Rodolfo.
Tecnologia do Blogger.