[Radar] Descubra o som da drag paulistana Gloria Groove



RuPaul's Drag Race definitivamente abriu as portas do mundo drag para o mainstream. Longe de mim dizer que Mama Ru, com seu programa, criou tal universo ou reinventou a roda.

Apesar disso, a arte drag conseguiu alcançar multidões, inspirar pessoas e revelar novos e grandes nomes, no mundo e no Brasil. Por aqui, podemos citar gente como Rebecca Foxx, Pabllo Vittar e, mais especificamente, Gloria Groove.


O que torna a artista paulistana mais interessante é o modo como Groove se distancia do senso comum observado em boa parte do universo drag. Primeiro, por ser uma cantora genuína e, em segundo, por não buscar uma sonoridade pop para si, apostando em vertentes do trap, hip-hop e rap, junto a composições baseadas em experiências de vida e na dualidade do ele/ela.


Ainda falando sobre suas composições, a artista explora a realidade dos gays negros e da periferia, situação também vivida pela artista, conforme explorada na faixa “Império”, repleta de empoderamento.


Groove conta atualmente com dois singles e um disco em sua curta, mas poderosa discografia. São eles as faixas “Dona” e “Império”, lançadas em 2016 já com seus clipes e o álbum ‘O Proceder’, divulgado ontem pelo selo SB Music. O compacto traz influências de gente como Beyoncé, Nicki Minaj, Tinashe, Flora Matos e Karol Conká. Além disso, a cantora participa da faixa "Catuaba", da também drag goiana Aretuza Lovi.


Atualmente, a artista está em turnê divulgando o trabalho, tendo shows marcados nas cidades de Teresina, Rio de Janeiro, Goiânia e São Paulo.


Saiba mais sobre Gloria Groove curtindo sua página no Facebook e ouvindo suas faixas no Spotify.
Tecnologia do Blogger.