As 30 melhores faixas de 2016



Final de ano chegando, está na hora de separar tudo de melhor que o mundo da música nos apresentou em 2016. Nós, do Pick Up The Headphones listamos as 30 faixas que nos cativaram e se destacaram entre todos os lançamentos nesses últimos doze meses.

30º Hana – "Chimaera"




A última faixa do EP de estreia da norte-americana Hana apresenta uma sonoridade quase mística acompanhada de sensuais vocais ao longo dos seus quase seis minutos de duração, levando o ouvinte em uma intensa viagem.



29º Pillar Point – “Dove”




“Dove” é uma daquelas faixas que vão fazer você querer dançar sem parar, com seu pop progressivo super pegajoso. Aliado à isso, temos um videoclipe maravilhoso. Encorajamos você a imitar sua coreografia.



28º Puro Instinct – “Tell Me”




O lead single do segundo disco de estúdio das irmãs Piper Durabo e Skylar Cielo fisga o ouvinte pela sua pegada pop retrô, remetendo aos melhores momentos de Madonna na década de 80.



27º Tegan and Sara – “Boyfriend”




O carro-chefe do delicioso ‘Love You To Death’ aposta em uma sonoridade radiofônica aliada à uma letra interessante sobre um relacionamento, enquanto trata sobre temas como aceitação e desejo.



26º M83 – “Do It, Try It”




“Do It, Try It” mostra que o francês Anthony Gonzalez e seu projeto M83 ainda sabem fazer música eletrônica da melhor qualidade, aliando elementos oitentistas à poderosos sintetizadores, resultando em uma mistura que vai conquistar o ouvinte e prepara-lo para a audição do disco ‘Junk’.



25º Flume ft. Kai – “Never Be Like You”




Para o carro-chefe do disco ‘Skin’, flume escolheu um single que é pegajoso, radio friendly e vai grudar na sua cabeça por dias, com sua eletrônica borbulhante de produção refinada.



24º Röyksopp ft. Susanne Sundfør – “Never Ever”




Não é porque os noruegueses do Röyksopp decidiram não lançar mais nenhum disco no formato convencional que vão simplesmente deixar de fazer música. Prova disso é o delicioso single “Never Ever”, na companhia da conterrânea Susanne Sundfør, com sua pegada catchy e sintetizadores açucarados. Destaque também para o psicodélico clipe da faixa.



23º Róisín Murphy - "Ten Miles High"




A veterana Róisín Murphy escolheu a complexa “Tem Miles High” como carro-chefe do interessante disco ‘Take Her Up To Monto’, lançado pouco mais de um ano depois de ‘Hairless Toys’ – trabalho que reintroduziu a irlandesa à cena alternativa. Apostando em uma sonoridade irregular e distante das pistas, a faixa exibe produção cuidadosa e sofisticada.



22º Tennis – “Ladies Don’t Play Guitar”




O single de retorno do casal Patrick Riley e Alaina Moore soa irônico, descompromissado e leve. Tem como ser melhor que isso?



21º Ladyhawke – “Wild Things”




A faixa-título do terceiro disco da neozelandesa Ladyhawke é uma emocionante declaração de amor mergulhada em sintetizadores progressivos capaz de causar arrepios.



20º Banks – “Gemini Feed”




O segundo single do álbum ‘The Altar’ da norte-americana Jillian Banks flerta com a eletrônica e o R&B em uma produção sexy e certeira, aliada à um videoclipe repleto de cenas de dominação.



19º Vaults – “Midnight River”



“Midnight River” conta com os deliciosos vocais de Blythe Pepino aliados à uma produção glamorosa com sintetizadores, cordas e coro. Destaque para seu videoclipe, dono de uma edição esperta.



18º Two Door Cinema Club – “Bad Decisions”




O segundo single do terceiro disco dos irlandeses do Two Door Cinema Club funciona como uma curiosa mistura entre eletrônica, indie rock e Bee Gees. O videoclipe da faixa, todo gravado em animação, serve para incrementar essa combinação.



17º Allie X – "That’s So Us”




A canadense Allie X prometeu por todo o 2016 o aguardado ‘CollXtion II’. Mesmo não cumprindo, não deixou os fãs sem música boa, como é o caso de “That’s So Us” e seus sintetizadores extremamente radiofônicos. Nasceu com cara de hit.



16º Charli XCX – “Trophy”




Ignorando a existência de um erro chamado “After The Afterparty”, a britânica Charli XCX nos presenteou com o certeiro EP ‘Vroom Vroom’, de onde veio “Trophy”. Contando com samples de Uma Thurman em Pulp Fiction, a faixa traz a união de XCX com o produtor Sophie em uma mistura de eletrônica industrial e PC music, resultando em um single marcante.




15º Chairlift – "Ch-Ching"




Caroline Polachek e Patrick Wimberly apresentaram uma interessante mistura de estilos no delicioso 'Moth', lançado em janeiro, Mas é "Ch-Ching" que sintetiza melhor o que os nova-iorquinos querem dizer, com sua sonoridade pegajosa e descompromissada, junto ao seu belo clipe. Apesar disso, infelizmente os músicos anunciaram o fim das atividades da banda agora no fim do ano.



14º ANOHNI – “Drone Bomb Me”




É difícil escolher alguma faixa do maravilhoso ‘Hopelessness’, disco de estreia da britânica Anohni. Dona de uma sonoridade irregular e dos emocionantes vocais da artista, a faixa se destaca pela sua construção delicada e apurada.



13º Tove Lo – “True Disaster”




Quem achava que a sueca Tove Lo seria apenas mais uma one hit wonder se surpreendeu com o lançamento do já icônico ‘Lady Wood’, que conta com “True Disaster” em sua tracklist. Genuinamente pop, a faixa fisga o ouvinte com uma interpretação convincente da cantora, aliada à sua construção bem feita.



12º KAYTRANADA ft. AlunaGeorge – “Together”




A parceria de Kaytranada com Aluna Francis, do AlunaGeorge é sexy, interessante e pegajosa na medida certa. Um dos grandes acertos do disco de estreia do produtor haitiano-canadense.




11º Bat For Lashes – “In Gods House”




Para seu quarto disco de estúdio, a anglo-paquistanesa Natasha Khan, responsável pela banda de uma pessoa só Bat For Lashes, resolveu contar a história de uma noiva que perde o amado no dia de seu casamento. “In Gods House” consegue resumir dentro de si mesma toda a ideia do registro, com seus sintetizadores atmosféricos e aura soturna, além dos dramáticos vocais de Khan.



10º Radiohead – “Burn the Witch”





O primeiro vislumbre do que viria a ser o nono disco de estúdio dos ingleses do Radiohead mescla uma delicada massa de cordas com elementos psicodélicos, enquanto é embalada pelos hipnóticos vocais de Thom Yorke.



9º Bon Iver – “33 “GOD””




O terceiro disco dos norte-americanos do Bon Iver se apresenta de forma intensa e delicada ao mesmo tempo. Prova disso é a obscura, mas fascinante “33 “GOD””, com seus vocais e sintetizadores distorcidos.



8° Justice – “Randy”




Se “Safe and Sound” não conseguiu convencer como primeiro single de retorno do Justice, “Randy” fez o trabalho de casa e mostrou que os franceses ainda sabem a medida certa para criar poderosas faixas.



7º Dua Lipa – “Hotter Than Hell”




Dua Lipa é o grande destaque do pop alternativo em 2016. Dona de poderosos e impactantes vocais, a inglesinha de 21 anos provou pra todo mundo que, mesmo sem ainda ter um disco para chamar de seu – fato que muda em fevereiro de 2017 – pode fazer muito barulho na música. O melhor exemplo disso é “Hotter Than Hell”, faixa que consegue agradar a todos os públicos, com sua sonoridade mainstream, mas não necessariamente descartável.



6° The Weeknd – “False Alarm”




Que “Starboy” é um dos grandes discos do ano, disso não temos dúvida. O quarto disco de estúdio do canadense The Weeknd é uma sucessão de hits, mas o destaque vai para a intensa “False Alarm”, com sua produção nervosa e inquieta, aliada à seu grandioso e violento videoclipe.



5º The XX – “On Hold”




O primeiro single do aguardadíssimo ‘I See You’ – terceiro disco de estúdio dos britânicos do The XX – bebe das mesmas fontes exploradas por Jamie XX em seu trabalho solo, ‘In Colour’ (2015). A faixa se cerca de uma eletrônica menos densa que a vista nas outras composições do trio, mas sem necessariamente perder as características que a fazem uma obra do The XX.



4º Anna of the North – “Baby”




O quarto single do projeto norueguês Anna of the North esbanja delicadeza em seus pouco mais de três minutos de duração. Dona de uma fragilidade palpável, Anna Lotterud apresenta uma interpretação cheia de carisma e sensibilidade, enquanto canta sobre se colocar no lugar do próximo dentro de uma relação.



3º AlunaGeorge – “Jealous”




Co-escrita por Charli XCX, “Jealous” reúne dentro de si tudo o que o AlunaGeorge veio explorando ao longo de 2016, com seu delicioso ‘I Remember’. Mergulhada no dancehall, a faixa é descaradamente sexy com a sua sonoridade ousada e completamente destoante do que foi visto em ‘Body Music’ (2013).




 2º Liv – “Wings Of Love”




Imagine reunir em um só lugar Miike Snow, Lykke Li e Peter, Bjorn and John? Sim, o Liv é tudo isso, mas também é mais: “Wings Of Love”, single de estreia do supergrupo traz em sua essência o melhor de cada um dos nomes citados anteriormente, com sua sonoridade crua e emotiva. Destaque ainda para o belíssimo videoclipe que acompanha a faixa.



1º Skott – “Porcelain”




“Porcelain”, single de estreia de Skott, é tão enigmático e misterioso quanto a história de sua intérprete. Contando com os hipnóticos vocais da artista, aliados à coros e sonoridade grandiosa e sutil ao mesmo tempo, a faixa é suficiente para chamar toda a atenção possível para o nome da cantora. Estamos ansiosos por todo o potencial a ser explorado futuramente.



Que faixa você acha que deveria estar nessa lista? Conta pra gente aqui nos comentários.
Tecnologia do Blogger.