Resenha: Bat For Lashes canta a dor de uma noiva enlutada em ‘The Bride’



Desde que lançou o álbum ‘Fur and Gold’, há exatos dez anos, a banda-de-uma-pessoa-só Bat For Lashes, idealizada pela cantora, produtora e multi-instrumentista Natasha Khan vem nos presenteando com trabalhos de alto nível musical, tanto técnica como liricamente falando. Ao embarcar no projeto SEXWITCH no ano passado, junto do produtor Dan Carey e da banda Toy, Khan fez com que os fãs se perguntassem por quanto tempo ainda precisariam aguardar pelo sucessor do aclamado ‘The Haunted Man’ (2012), que presenteou a todos com as faixas “Laura”, “All Your Gold” e "Marilyn".

Eis que a espera de quatro longos anos chegou ao fim, com o lançamento do quarto registro de estúdio, o disco ‘The Bride’. Será que apostar em uma temática sobre casamento, dor e morte, torna o álbum digno de estar ao lado da imaculada discografia cuidadosamente elaborada por Natasha ao longo de todos esses anos? É o que tentaremos responder nessa resenha.


Ao se escutar o disco pela primeira vez, tudo o que podemos concluir é que ‘The Bride’ é um dos trabalhos mais interessantes da carreira de Khan. Apesar de isso soar quase como um spoiler para a conclusão sobre o disco, tal afirmação é mais do que justificada e necessária. O álbum traz a artista mais que como apenas uma intérprete, arranjadora ou instrumentista. Em ‘The Bride’, Khan se apresenta como uma contadora de histórias. De histórias tristes, diga-se de passagem.



Ao cantar os diversos estágios em ordem cronológica, através das faixas introdutórias “I Do”, “Joe’s Dream”, “In God’s House” e “Honeymooning Alone”, Natasha apresenta ao ouvinte a história de uma mulher que perde o noivo no dia do casamento em um acidente de carro e depois sai em lua de mel, onde acompanha a evolução de cada um dos seus sentimentos. Cada detalhe presente no registro, desde a capa à roupa que os fãs usaram e o ambiente onde a mini-turnê de divulgação do trabalho foi executada corroboram para a criação de uma atmosfera convincente e palpável para fã e artista, onde o conceito geral apresenta-se muito bem executado.


Mais que uma simples história: ‘The Bride’ é uma metáfora sobre o amor em diversas fases, que segundo Khan “requer uma morte de todas as formas”. Somando-se a esse conjunto complexo temos uma instrumentação delicada e precisa, que serve de pano de fundo para dar veracidade ao conceito explorado em cada uma das canções. Sempre apresentando a melancolia como peça-chave em cada ponto do álbum, como na delicada “If I Knew” – forte candidata à melhor música do disco –, Bat For Lashes entrega um grande acerto em forma de álbum, fato comprovado através da indicação ao Mercury Prize, comovendo o ouvinte com os lamentos de dor da noiva através de uma veracidade palpável, mas com um fio de esperança, através das canções de encerramento “I Will Love Again”, “In Your Bed” e “Clouds”


Ouça: “I Do”, “In God’s House”, “Honeymooning Alone”, “If I Knew” e “In Your Bed”.
Tecnologia do Blogger.