Resenha: Peartree e o universo lisérgico e nostálgico do EP ‘Intro’



O synthpop sempre foi o gênero precursor da música eletrônica desde o início da década de 00’s. De lá pra cá, esse estilo foi bastante difundido com outras referências e tornou-se motivo para reviver as disco-clubs do passado, mas com o pé no futuro. Nomes como Digitalism, Simian Mobile Disco e Miami Horror adotaram a produção sintetizada e abusam de um clima dançante.

No Brasil, esse cenário está se dissolvendo gradativamente – Silva e Mahmundi são alguns nomes que exemplificam o synthpop brasuca que tanto gostamos. Enquanto isso, o Peartree semeia o solo fértil nacional com pitadas pop efervescentes regidas pelos vocais e produção de Felipe Pereira. Depois de divulgar algumas prévias, acabam de lançar o EP de estreia intitulado como ‘Intro’.

Logo nos primeiros segundos da canção “Someday”, o projeto indica os sinais de um trabalho marcado pela paisagem lúdica e atemporal – algo como que o M83 fez no disco ‘Hurry Up, We’re Dreaming’ (2011). A canção simplesmente flutua em meio aos vocais despojados de Pereira e abre espaço para guitarras melódicas, percussão grandiosa e texturas eletrônicas. É o convite perfeito para conhecer o universo de Peartree.

“Who We Are” chega com suas inspirações eurodance em clima veranesco e delicioso – a canção ganhou uma resenha feita por nós aqui. “Gonna Get Tired” mantém o clima dançante da faixa anterior, porém é inevitável perceber os traços do electroclash se fundindo com o synthpop borbulhante da produção. Carregada de beats viscerais, a música lança o groove sintetizado na companhia de vários “uhh-uhh”.

A canção de maior sucesso do Peartree, “Hate to Say I Told You So”, encontrou o seu lugar na composição do EP. Se antes estávamos envolvidos com a sua produção exuberante, agora temos motivos extras para colocá-la na lista de canções do ano. A música simplesmente se encaixa na forma lisérgica do disco.



Por último, “Dreams” encerra o EP com aquele gostinho de quero mais. É uma canção poderosa com uma mensagem importante: os sonhos devem ser concretizados. Guitarras vibrantes e uma percussão rica em detalhes criam o desfecho certeiro do EP, elevando nossa curiosidade para a próxima jornada do Peartree.

O EP ‘Intro’ foi produzido e escrito por Felipe Pereira, que encontrou nos temas pessoais e biográficos (como identidade e espiritualidade), o motivo certo para explorar a criatividade. O registro se destaca como uma boa surpresa em 2015 e, sem dúvida alguma, eleva o posto do projeto no cenário eletrônico e pop do Brasil. Queremos morar neste mundo lisérgico, lúdico e atemporal por um longo tempo. Relaxe e dê o play.



O EP está disponível para download gratuito e streaming no site oficial do Peartree. Acompanhe as novidades do projeto também no Facebook.

Para quem gosta de: Neon Indian, M83, Miami Horror e Justice.

 NOTA: 9/10

Tecnologia do Blogger.