Resenha: Little Boots – ‘Working Girl’



Victoria Hesketh está de volta. Depois de ser nomeada aposta da BBC e lançar a pérola eletropop ‘Hands’ (2008) como disco de estreia, o mal compreendido ‘Nocturnes’ (2013) e o elogiadíssimo EP ‘Business Pleasure’ (2014), a musicista apresenta ao público seu quarto registro de estúdio. Intitulado ‘Working Girl’, o álbum chegou às lojas dia 10 de julho e mostra uma Little Boots mais inclinada à estética dos anos 90, tanto sonora quanto visualmente falando.

Little Boots não tem medo de se aventurar pelos estilos. Quem ouve o primeiro trabalho da britânica, consegue identificar sintetizadores de linhas despretensiosas e refrães pegajosos, daqueles que ficam na mente por dias, acompanhando faixas que são praticamente hinos instantâneos, vide “New In Town”, “Earthquake” e “Remedy”. O registro fez com que a luz da cena alternativa se acendesse sobre Hesketh e todos se perguntarem qual seria o próximo passo da brilhante produtora.



E foi aí que vieram os primeiros sinais do segundo disco. Superestimado? Sim. Lançado tardiamente? Certamente. Ruim? Jamais. Quem esperava uma continuação natural do primeiro trabalho surpreendeu-se com a forte aproximação do house, além de uma produção baseada em uma eletrônica mais tradicional, próxima do fim dos anos 80 e início dos 90. Acompanhado de uma estética nebulosa, ‘Nocturnes’ dividiu as opiniões sobre o trabalho da britânica. Mas pelo menos não foi possível acusá-la de ficar na zona de conforto, como é possível ver em muitos segundos registros lançados.

Depois de cinco anos esperando por ‘Nocturnes’, os fãs certamente se perguntavam por mais quanto tempo teriam que aguardar para ver um novo trabalho de Victoria. E eis que no ano seguinte, 2014, chega às lojas o EP ‘Business Pleasure’. O compacto surpreendeu todos de novo, com uma Victoria trabalhada na estética noventista, tomando para si a imagem de executiva bem-sucedida típica de produtos exibidos nos comerciais da época.

Acompanhado de pérolas como a faixa-título e as maravilhosas “Taste It” e “Heroine”, o compacto fez com que mesmo os mais céticos dessem um novo voto de confiança ao trabalho da versátil artista. 2015 chegou, e com ele, mais uma surpresa: o anúncio do disco ‘Working Girl’, que claramente funciona como uma continuação natural do registro anterior, levando à sério a máxima de que em time que está ganhando, não se mexe.



Se analisarmos friamente, Little Boots sempre nos fez dançar, de uma forma ou outra, por meio do seu eletropop oitentista, pelo seu house noventista e agora pelo seu pop classudo e acessível, ao mesmo tempo. ‘Working Girl’ juntou o melhor do já produzidos pela artista, sem que ela perdesse a identidade.

O disco possui uma construção convincente, e ainda que passe por temas diversos em alguns momentos, como amor e aceitação, sempre consegue manter o foco principal, através de faixas estrategicamente posicionadas, seguindo por uma linha específica de trabalho. Identidade visual e sonora conversam extremamente bem, fazendo com que seja fácil comprar a ideia proposta de Hesketh.



Mesmo em faixas mais lentas, como a belíssima balada “Help Too”, que fala sobre aceitar e precisar de ajuda, Little Boots mantém o alto nível das composições, tanto sonora quanto liricamente, o que faz ‘Working Girl’ ser um trabalho brilhante e de extrema qualidade.

Os principais singles do trabalho até agora, as faixas “No Pressure”, que aposta em um house sofisticado, enquanto fala sobre o dia a dia de Victoria enquanto enfrenta problemas diversos, o carro-chefe do disco “Better In The Morning”, com sua letra sobre superar uma relação, enquanto entoa versos reflexivos e a brilhante “Get Things Done”, que aborda de maneira completamente incomum um relacionamento através de uma metáfora sobre o mercado de trabalho, sem perder a pegada dançante são responsáveis por fazer com que o disco seja abraçado pela crítica, recebendo avaliações positivas, acerca do seu conteúdo.



O trabalho conta com uma produção impecável e será figura certa nas principais listas de melhores discos do ano.

Ouça: “No Pressure”, “Get Things Done”, “Help Too” e “Better In The Morning”.



'WORKING GIRL'
LITTLE BOOTS
NOTA: 9/10

Tecnologia do Blogger.