Entrevista: Savoir Adore



Saindo do Brooklyn para o mundo, o Savoir Adore mistura a fantasia com salpicadas pop inteligentes, capazes de fazer você viajar por um mundo desconhecido, mágico e surreal. Depois de oito anos de estrada, eles continuam extraindo muito mais deste universo místico para falar de coisas da nossa vida, como positividade, amor e natureza.

Em 2013, a banda lançou o álbum ‘Our Nature’, que vaga por um synthpop caprichoso e muito bem explorado. Além disso, a música “Dreams” se tornou o hino de uma geração voltada para a cultura dos games para, mais tarde, ser o carro-chefe de divulgação de toda a carreira. O Savoir Adore conquistou grandes festivais, programas de televisão e, certamente, um espaço no seu player.

O líder da banda, Paul Hammer, nos contou o segredo por trás das inspirações que norteiam as composições. Falou ainda sobre a saída de Deidre Muro, a nova formação da banda e o que anda ouvindo nos últimos meses. Esta entrevista foi viabilizada através da Deezer em parceria com o Pick Up The Headphones. Confira!

Do primeiro disco ao último, podemos perceber a experimentação de vários elementos de produção. Quando vocês decidem fazer um álbum, o que vem primeiro: a melodia ou a composição?

O nosso processo de composição muda frequentemente, mas geralmente, a maior parte da composição vem primeiro e, em seguida, a melodia. No entanto, algumas músicas, como por exemplo “Loveliest Creature”, a melodia e a letra do refrão vieram primeiro, antes da música ser escrita.



A grande sacada do álbum ‘Our Nature’ é a mistura de referências, que varia entre o inimaginável até a ousadia em experimentar novos sons. De onde surgiram as inspirações em torno da produção do disco?

A inspiração vem de muitos lugares... Eu sempre fui inspirado por uma variedade de estilos musicais e produções. Para nós é um desafio misturar sons selvagens com uma música pop. No disco, a inspiração surgiu de bandas como Cut Copy, Sigur Rós, Washed Out, Talking Head, Baths. Seguir nesta direção não foi uma decisão antecipada, nós deixamos o som fluir para sentir a magia acontecer e nos transportar. Foi assim que a sonoridade surgiu como queríamos.



“Dreamers” entrou para a trilha sonora do jogo Pro Evolution Soccer 2013. Depois disso, a banda conquistou milhares de pessoas que nem sequer os conheciam. Esta divulgação é importante para um artista novo?

Absolutamente. Para um artista novo ou independente, de qualquer forma, ter uma música na frente das pessoas é importante e, para nós, foi realmente bom. Depois disso, conquistamos 4 milhões de visualizações no Youtube em apenas um dia e ganhamos muitos fãs novos. Isso nos permitiu tocar em lugares maiores e para muitas pessoas que puderam ouvir outras músicas do disco.

Repetiriam a mesma estratégia futuramente?

Se possível, sim! Hahaha! Infelizmente não estamos totalmente no controle disso. Temos uma editora que lança as nossas músicas para jogos, se eles gostam, acabam usando como trilha sonora. Posicionamentos como esse sempre vão ajudar novas pessoas a ouvirem nossa música.

O próximo álbum do Savoir Adore promete muitas novidades para os fãs. Dentre elas, a nova formação da banda, que promete somar à sonoridade final do registro. O que podemos esperar nesta nova fase quanto ao processo de composição e produção das músicas?

Sim! A banda está evoluindo, mais uma vez, e de muitas maneiras. Começamos como uma experiências, mas sempre estivemos abertos a mudanças. Nos dois primeiros discos, eu toco praticamente tudo, mas agora o Ben (bateria), Alex (guitarra) e o Andrew (baixo) estão mais envolvidos no processo de composição e gravação, então eu acho que o próximo álbum do Savoir Adore vai soar novo, diferente e emocionante.

Além disso, no início do ano, Deidre decidiu se separar para focar em outros projetos. Então temos recebido colaborações de algumas cantoras de fora, além de ter os caras da banda que também cantam nas gravações. É uma grande mudança, mas muito emocionante. No geral, o registro está caminhando para uma sonoridade dançante, mas ainda selvagem com ambientes sonoros e muitas texturas.

Sobre as inspirações que norteiam o novo disco, o que vocês andam ouvindo ultimamente?

Ultimamente tenho escutado muito Vacationer, St. Lucia, RAC, Porter Robinson, Cut Copy, Blood Orange, Kindness... apenas para citar alguns :)

 Deezer

Ouça o álbum ‘Our Nature’ no aplicativo da Deezer abaixo:


Tecnologia do Blogger.