STROMAE: PAPAOUTAI


É delicioso poder ouvir uma canção francesa sem se preocupar com os estereótipos premeditados em um lugar onde (até então) só conhecíamos as composições do Air, o electro do Justice e Daft Punk e as canções de amor características da França. Apresentar o artista belga Stromae neste momento vai soar tardio, mas esta oportunidade não poderia passar despercebida. Sob o nome de batismo Paul Van Haver, ele ganhou notoriedade após o incrível sucesso da música “Alors On Dance”, extraída do álbum Cheese, de 2010. De lá pra cá, o cara andou sumido a fim de buscar inspirações para o segundo álbum, intitulado Racine Carrée.

Das canções já disponibilizadas do trabalho, a faixa mais certeira chama-se “Papaoutai”, um trocadilho esperto que significa "Papa où t'es?" (Papai, onde você está?). Como já pode imaginar, a canção traz uma mensagem reflexiva, e até melancólica, sobre sua vida pessoal. Na composição, Stromae indaga repetidas vezes sobre a presença de seu pai durante a infância. A faixa serve como um desabafo para aquele que nunca esteve presente em sua vida, mesmo em momentos de descoberta. Sua produção traz o electrohouse convencional para uma canção tipicamente atemporal – e que deu muito certo. A diferença é que o músico deixou de lado os clichês da música atual a fim de apostar nas inspirações acerca do seu trabalho: mistura de afrobeat, batidas espertas e muita cor, de preferência carregada de estampas étnicas. Este é o cenário principal do videoclipe, que foi dirigido por Raf Reyntjens e coreografado por Marion Motin.

O segundo álbum do Stromae, chamado de Racine Carrée, foi lançado oficialmente no último dia 16. Além da faixa em questão, você também pode conferir o videoclipe para “Formidable”, gravado em uma manhã em Bruxelas.

Tecnologia do Blogger.