SUMMER SOUL FESTIVAL: FLORENCE + THE MACHINE


O show mais aguardado de 2012, posso dizer assim? Terça-feira passada (24/01), o público da segunda edição do Summer Soul Festival aplaudiu o show mais esperado da noite: Florence + The Machine. Com a pontualidade inglesa, Florence Welch subiu ao palco sendo ovacionada enquanto os primeiros versos de "Only If For a Night" ecoou pela pista da Arena Anhembi. O palco, que antes era apenas um telão comum, se ambientou com grandes vitrais e fachos de luzes criando uma atmosfera densa como se fosse uma igreja gigantesca. Vestindo um longo amarelo de cores quentes e de braços abertos para todos os que estavam ali, como se quisesse abraçar cada um de nós, ela arriscou um "E aí, Brasil?!" com todo o seu carisma.

Logo após vieram os primeiros solos de "What The Water Gave Me", acompanhando a primeira faixa apresentada do segundo disco da banda, o Ceremonials. Marcada por uma percussão pesada e épica, a performance desta nos mostrou a animação que antes víamos em shows da britânica pelo Youtube. "Cosmic Love" apareceu com toda a sua ternura e romantismo, umas das canções que eu mais esperava ouvir. "E aí São Paulo, e aí Brasil! Muito obrigada por virem, nós amamos vocês. Estou tão feliz por estar aqui...", disse emocionada.



"You've Got The Love" surgiu estranhamente bonita com solo de violinos e a performance mais dramática da cantora. Dias antes do show, especulava-se que a canção não entraria no setlist do show no Brasil, uma vez que a mesma foi cortada das últimas apresentações em outros países. Para nossa surpresa, a versão cantada no Glastonbury de dois anos atrás foi o ápice nos primeiros vinte minutos em solo brasileiro. Neste momento, só existia uma única conexão naquele lugar: Florence apontando para diversos cantos da platéia enquanto cantava afirmando "vocês possuem o amor". Um dos pontos mais incríveis do show!



Por um momento o público cessa da euforia da canção anterior e a inglesa dedica sua próxima música à responsável por seu sucesso: Etta James - que faleceu neste mês. "Eu só cheguei onde estou porque cantei essa música dentro de um bar, ainda meio bêbada, para meu empresário", disse a cantora seguido dos primeiros versos de "Something's Got A Hold On Me". Logo após anuncia uma nova música, "Never Let Me Go", com direito a colaboração do público durante o refrão fácil e simples de uma das faixas mais bonitas do Ceremonials.

Depois veio "Between Two Lungs", canção que deu título ao primeiro disco da britânica, Lungs, lançado em 2009. A faixa abria os shows da antiga turnê em uma espécie de brincadeira com baquetas e um bumbo, mostrando a verdadeira essência da sua estréia. O palco se iluminou para os primeiros acordes de "Shake It Out", também uma das mais aguardadas da apresentação. Até mesmo quem não conhecia as músicas da banda, arriscava umas letras e entrava na onda dos que se animavam com a brilhante performance da ruiva. E para o delírio de todos os fãs (e simpatizantes) de Florence + The Machine, o hit global "Dog Days Are Over" nasceu após uma pancada cortante da canção anterior. Com as já conhecidas "palminhas" durante os primeiros toques da faixa, todo mundo entrou na dança do single que lançou a banda no cenário musical.



Ainda teve "Rabbit Heart (Raise It Up)" com toda sua aura cósmica, acompanhada dos acordes da conhecida harpa que tanto revelou a sonoridade do primeiro álbum. Em seguida, Florence cantou "Spectrum", o próximo single de Ceremonials, esbanjando sua potência vocal em alto e bom som. E por fim, "No Light, No Light" surgiu com toda sua força logo na intro marcada pela percussão desvairada e frenética. Para surpresa da própria cantora, o público começou a cantar os primeiros versos da canção - "You are the hole in my head, you are the space in my bed. You are the silence in between what I thought and what I said". Foi um belíssimo desfecho cortejado pelo coro que insiste em tornar a canção grandiosa e confessional.

O show teve a duração de, praticamente, uma hora e dez minutos e foi acompanhada de balões coloridos e uma surpreendente iluminação. O palco se transformou num grande confessionário onde poucos tiveram a sorte de ouvir suas preces de perto. Talvez o único problema da apresentação foi de ter acontecido em um festival - o que reduz a setlist e a duração do show e não permite muitas estruturas próprias dos shows da cantora. Aliás, canções como "Kiss With A Fist", "My Boy Builds Coffins" e "Strangeness and Charm" deveriam ter entrado na lista de canções. Mesmo assim foi um show inesquecível e estou ansioso para repetir tudo de novo em uma próxima vinda da banda ao Brasil.



PLUS: Uma boa alma ripou o aúdio da apresentação transmitida pela MTV em alta qualidade. Se assim como nós, você também quer ter este show guardado para sempre, faça o download das doze canções executadas neste link. E se você quer rever o show, se liga nesse stream esperto que saiu na web!

Fotos: Divulgação
Vídeos: Felipe Melo
Tecnologia do Blogger.